2em-space-c

Por que contratar uma pessoa refugiada?

A busca por uma oportunidade de emprego é um desafio para muita gente, as pessoas querem se inserir no mercado de trabalho e se estabelecer financeiramente. Entretanto, quando o cenário se volta a uma pessoa refugiada, a situação é bem mais complicada. O preconceito é um dos maiores motivos da não contratação. Sobretudo, muitas empresas
ainda não sabem como funciona o processo de admissão e acreditam ser moroso, ilegal ou poder prejudicar o rendimento dos demais colaboradores. O Brasil é um dos países que mais recebem refugiados, e a falta de informação por parte das empresas prejudica o ingresso deles, no mercado de trabalho. Então, saiba que o processo de admissão de um refugiado segue as mesmas diretrizes de um brasileiro, sendo totalmente legal.
Agora, vamos te mostrar alguns motivos de porque contratar uma pessoa refugiada pode ser uma aposta positiva no seu negócio.

Ambiente de trabalho enriquecido

Primeiro, vamos situar de onde vem a maioria desses refugiados. Países da América Central, África, Oriente Médio e Europa. Pessoas dessas regiões possuem força física e habilidades muito promissoras. A carga negativa que a palavra refugiado recebe pode confundir muitas pessoas, afinal existem estrangeiros que cruzam as fronteiras ilegalmente para trabalhar de forma explorada ou então criminosos fugitivos. Porém, os refugiados são pessoas que têm sua vida ameaçada no país de origem, e busca proteção para se restabelecer. Os refugiados tinham uma vida, mas que por motivos maiores (guerras ou crise), foram forçados a abandonarem e recomeçar a vida em outro lugar. Entre os refugiados, existem pessoas de todas as classes sociais e níveis de escolaridade. Ter um refugiado inserido no seu quadro de colaboradores irá proporcionar uma experiência positiva. Afinal, além do conhecimento de outros idiomas eles possuem conhecimentos e experiências variadas.

Pontos positivos de contratar um refugiado:

● Maior envolvimento com os colaboradores;
● Senso de liderança para os funcionários que forem mentores desses refugiados;
● Diversidade ao ambiente de trabalho;
● Motivação entre todos da equipe.

A empresa não assume nenhum ônus ou encargo ao contratar uma pessoa refugiada

Alguns dos motivos de alguém não desejar contratar um refugiado é o receio da fiscalização e os custos. Entretanto, é algo totalmente legal. A única questão que precisa ir atrás ao contratar uma pessoa refugiada, é orientá-lo a procurar uma Diretoria de Ensino de Escolas Estaduais para que ele possa comprovar o nível de formação escolar.

3 atitudes para você ajudar um refugiado na sua empresa:

● Prepare o ambiente e conscientize os colaboradores sobre a contribuição desses refugiados para o time;
● Receba e mostre como sua empresa está disposta a entender suas particularidades;
● Tenha uma comunicação mais frequente e promova cursos que o ajudarão nesta fase.

Saiba que tomar essa iniciativa irá promover um lugar mais harmonioso, além de quebrar
preconceitos. Se prepare para um processo seletivo disposto a quebrar estereótipos e
aberto a estimular o desenvolvimento produtivo.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Inscreva-se e receba novidades em primeira mão!